Passageiros de 290 ônibus municipais e intermunicipais no Estado do Rio de Janeiro terão, até o dia 21 de setembro, a oportunidade de assistir, diariamente, a um vídeo contra violência doméstica. A iniciativa é do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e pretende mostrar a gravidade que envolve a questão da violência contra a mulher. Uma flor, a margarida, simboliza a mulher no vídeo, que foi produzido pela Comissão Permanente de Combate à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher (COPEVID), do Grupo Nacional de Direitos Humanos (GNDH), do Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais do Ministério Público brasileiro (CNPG).

“É uma campanha permanente. Trata-se de uma violação intolerável dos direitos humanos que atinge, indistintamente, pessoas de todos os segmentos sociais”, observou o Procurador-Geral de Justiça do MPRJ e Presidente do CNPG, Cláudio Lopes.

O vídeo começou a ser exibido no dia 30 de agosto em ônibus que circulam no Centro, Zona Sul, Zona Norte e Zona Oeste, e em Nova Iguaçu e Caxias, na Baixada Fluminense. Trata-se de uma parceria com a BUSTV, que calcula em 4,5 milhões o número de passageiros que assistirão a um total de 113.390 exibições. O vídeo está sendo divulgado gratuitamente por se tratar de serviço de utilidade pública. Numa segunda etapa, voltará a ser exibido no período de 20 de novembro a 10 de dezembro.

De acordo com a Promotora de Justiça do MPRJ Lúcia Iloizio Barros Bastos, Subcoordenadora de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher do 2º Centro de Apoio Criminal do MPRJ e integrante da Comissão Permanente de Combate à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher (COPEVID) do GNDH/CNPG, a campanha tem por objetivo expor que a violência doméstica e familiar causa danos não só à mulher, mas também aos filhos que presenciam a violência.

“Esta forma de violência que discrimina e humilha as mulheres prejudica diretamente o pleno exercício de sua cidadania, constituindo verdadeira violação dos direitos humanos das mulheres, tolhendo sua liberdade e trazendo muitas vezes danos a sua saúde física e psíquica”, ressaltou a Promotora. Segundo ela, por esse motivo, a violência doméstica e familiar contra a mulher deve ser combatida não só sob o aspecto criminal como também por meio de campanhas educativas e de sensibilização da população em geral.

Com as campanhas, pretende-se expor a realidade vivenciada ainda hoje e que atinge todas as camadas sociais indistintamente, além de estimular as mulheres a denunciarem a violência sofrida e a buscarem auxílio necessário junto aos órgãos de apoio especializados, conscientizando-as de seus direitos a fim de que possam trilhar uma vida livre de violência.

O filme, de 30 segundos, incentiva as pessoas a se dirigirem à Promotoria mais próxima em suas cidades ou a denunciarem este tipo de agressão à Central de Atendimento à Mulher – Disque 180, da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM), ou pelo à Ouvidoria-Geral do MPRJ (127).

Assista aqui ao vídeo



Fonte: MPRJ






Redes Sociais

MPs Estaduais